Saturday, March 24, 2007

.das abcissas cordiais.

antigamente escrevia mais por viver menos realidades.
descobri que há uma linha tênue entre o mundo das palavras e o mundo dos olhos cintilantes...
por isso optei pelo modo de vida umbigocentrista e anti-cortês.

Monday, March 19, 2007

Assim você se perde...

E me perde também!

Wednesday, February 14, 2007

Amizade...

O amor da amizade é um amor diferente:
é um amor renal.
Amigos não compartilham o coração
igual aos que se entregam à uma paixão.

Não...

Ninguém deveria morrer de amor,
dessa dor que aperta o peito
de um coração partido
e nunca devolvido.

Não, não presta emprestar,
ou dar
seu coração
ao seu "amor", e muito menos à um amigo.

Então...

Veja pois que rim nós temos dois!
Se doarmos um, ninguém morre,
nem doador
nem o socorrido,
numa prova de um amor compatível.
Pois só se doa o coração,
ora bolas,
quem já tiver morrido.

Embora sua função nem se iguale
ao de nosso órgão cardíaco,
o rim elimina tudo aquilo que é encardido,
até mesmo as bebedeiras
que o fígado,(coitado)
teve de dar contapor algum amor perdido.

E a dor renal não tem comparação...
e se esquece facilmenteo que dói no coração,
se uma pedra a gente parir.
E dói...
muito mais,
"muito mais",
que deixar um amor partir.

Escrito por Marcio Augusto, 10/02/07.

http://www.orkut.com/CommMsgs.aspx?cmm=87940&tid=2464615084584854399&na=4&nst=466&nid=87940-2464615084584854399-2515075298135892863

"Criança Doente"

“Devo voltar a comentar aqui que continuo perdido de mim mesmo... mas agora ofereço recompensa a quem me encontrar.

Obs: "Criança doente"

[Márcio Augusto, dias desses no Orkut]

Quisera eu encontrar perdido por entre vales e tíckets um certo andarilho perdido caminhando com um certo cão chamado Verbo.Não, mas o tal Verbo finge estar morto, assim como o poeta fingidor em Pessoa...Tal qual o dono...Sempre imaginei que a psicologia canina deveria ser mais complexa que a humana! O que FrAUde pensava sobre isso em latim-cachorrês?

Ahhh..Quanto a criança doente?
Será apenas uma dor de dente?
Ou ressaca de alma [de]mente?
“De terceira pessoa a primeira”
Seria a pedra do caminho de Drumond?
Ou aquele cálculo renal
Insistente nos intervalos das derivadas e integrais?
Ressaca pueril é a curva da cedilha
Que se dá na hora do [eu] parto
De canção de roda[ pé]
E no abraço circunflexo
Da jura eterna subjuntiva
Daquele nosso futuro do presente composto.