Thursday, September 29, 2005

Que PORRA é essa???

Essa coisa maravilhosa aí é LAURI PORRA, o novo baixista do Stratovarius...
Mais um motivo pra me arrepender por não ter ido ver a Porra tocar!!!

Tuesday, September 27, 2005

Sunday, September 25, 2005

...

E é por isso que não acredito em livros de auto ajuda..Nem de selfs, nem de insights nem de cosmos, e muito menos de holismo...
Só ensinam a mentir...

...

Eu sempre me olho no espelho e minto pra mim mesma : "I'm fine..."

Wednesday, September 21, 2005

Já descobri por que as pessoas apaixonadas imploram pelo amor da pessoa amada.
Pra poder viver...

Só isso...
Tempo perdido
Amor contido
Sem sentido
Sem tido
Sem ido
Sem dó
Sem
Se
.

Tuesday, September 20, 2005

Minha Noite

"Minha noite é como um grande coração batendo. São três e meia da madrugada.
Minha noite é sem lua. Minha noite tem olhos grandes que olham fixamente uma luz cinzenta filtrar-se pelas janelas. Minha noite chora e o travesseiro fica úmido e frio.
Minha noite é longa, muito longa, e parece estender-se a um fim incerto. Minha noite me precipita na ausência sua. Eu procuro, procuro seu corpo a meu lado, sua respiração, seu cheiro. Minha noite me responde: VAZIO.
Minha noite me dá frio e solidão. Procuro um ponto de contato: a sua pele. Onde você está? (...)
Não é possível que você não esteja aqui.
Minha cabeça vaga errante, meus pensamentos vão, vêm e se esfacelam, meu corpo não pode compreender. Meu corpo quer você. Meu corpo quer esquecer-se por um momento no seu calor, meu corpo pede algumas horas de serenidade. Minha noite é um coração de estopa. Minha noite sabe que eu gostaria de olhar você, acompanhar com as minhas mãos cada curva do seu corpo, reconhecer seu rosto e acariciá-lo. Minha noite me sufoca com a falta de você. Minha noite palpita de amor, amor que eu tento represar mas que palpita na penumbra, em cada fibra minha. Minha noite quer chamar você, mas não tem voz. (...) São quatro e meia de madrugada. Minha noite me esgota. Ela sabe muito bem que você me faz falta e toda a escuridão não basta para esconder essa evidência. Essa evidência brilha como uma lâmina no escuro. Minha noite quer ter asas para voar até onde você está, envolvê-lo no seu sono e trazê-lo até onde estou. Minha noite não traz conselhos. Minha noite pensa em você, sonha acordada. Minha noite se entristece e se desencaminha. Minha noite acentua a minha solidão, todas as minhas solidões. O silêncio ouve apenas minhas vozes interiores.
Minha noite é longa, muito longa. Minha noite teme que o dia nunca mais apareça, porém ao mesmo tempo minha noite teme o seu aparecimento, porque o dia é um fio artificial em que cada hora conta em dobro e, sem você, já não é vivida de verdade. Minha noite pergunta a si mesma se meu dia não se parece com a minha noite. Isso explica à minha noite por que razão eu também tenho medo do dia. Minha noite tem vontade de me vestir e me jogar pra fora, para ir procurar o meu homem. Minha noite o espera. Meu corpo o espera. Minha noite quer que você repouse no meu ombro e que eu repouse no seu. Minha noite quer ser voyeur do seu gozo e do meu, ver você e me ver estremecer de prazer. Minha noite quer ver nossos olhares e ter nossos olhares cheios de desejo. Minha noite é longa, muito longa. Perde a cabeça, mas não pode afastar de mim a sua imagem, não pode fazer desaparecer o meu desejo. Ela morre por saber que você não está aqui, e me mata. Minha noite o procura sem cessar. Meu corpo não consegue conceber que algumas ruas ou uma geografia qualquer nos separem. Meu corpo enlouquece de dor por não poder reconhecer no meio da minha noite a sua silhueta ou a sua sombra. Meu corpo gostaria em plena noite de dormir e, nessas trevas, ser despertado com os seus beijos. Minha noite não conhece hoje sonho mais belo e mais cruel do que esse. Minha noite berra e rasga os seus véus, minha noite se choca contra o próprio silêncio, mas meu corpo continua impossível de ser encontrado. Você me faz tanta falta, tanta. E suas palavras. E sua cor.
Logo o dia vai raiar."

Carta de Frida Kahlo à Diego Rivera.
Cidade do México, 12 de setembro de 1939.

-------------------------------------------------------------

Por que os amores normais, de pessoas normais são apenas normais? E os grandes amores mesmo, estes são os anormais...

É uma pena que grandes nomes femininos da história estejam ligadas à um homem, à um relacionamento amoroso...Foi assim com Frida Kahlo, Mary Welsh, Clotilde de Vaux, Camille Claudel, Marquesa de Santos, Iara Iavelberg, Capitu...Não tem como pensar nelas sem ver Diego Rivera, Hemingway, Comte, Rodin, D. Pedro, Lamarca, Bentinho...

E, pior...Muitas só foram ficar famosas mesmo depois de produções cinematográficas...

How do you feel???

Monday, September 19, 2005

...

O bem
que quero
não faço
O maul
que não
quero
este sim
eu faço
e quero
...

Sunday, September 18, 2005

Sweet Dreams...


Já que não gostaram do meu pobre pombo amoroso...
(In off : "Never More...")

"Sweet dreams are made of these
Who am I to disagree?
Travel the world and the seven seas
Everybody's looking for something
Some of them want to use you
Some of the them wanna get used by you
Some of them want to abuse you
Some of them want to be abused... "

Estranho?
Não acho...
Adoro Marylin Manson, a voz satânicamente sexy...Sobretudo nessa música...
Isso sem contar as semelhanças com...Ahhh...Deixa pra lá...

Eu e minhas fantasias grosseiramentes toscas...

Mas ainda quero ver a ferocidade de um homem ouvindo essa música maravilhosamente erótica (pelo menos pra mim).
Mais que "Glory Box" do Portshead, mais que "Still got the Blues" do Gary Moore, mais que "Edge oh the World" do Faith no More, mais que "Since I don't Have You" do Guns, mais que "You Can Leave Your Hat On" do Joe Cocker...Enfim, mais que qualquer uma música que teve a pretensão de ser apenas sedutora, se esquecendo da "maulícia"...

Usando e abusando...
Sendo usada e abusada...
Como a música sugere...
E com requintes de crueldade a la MM(cabeludo lindo tb) e do meu tão idolatrado Sade...

Afff...Que exagero...Já pensou os dois numa cama comigo...Isso sim é suicídio lento e doloroso...Isso teria mais cara de treinamento pra tortura do Oriente Médio do que clipe da Madonna...

Na verdade acho que sou mais louca pelo Geoffrey Rush interpretando o Marquês, do que o próprio velhinho testudo de peruca...Assim como Jack Sparrow, o pirata fedido, e com dentes cariados fica muuuito beijável com Johnny Depp...
Melhor parando por aqui, porque isso tá virando suruba já...E antes que isso tudo mude o rumo e vire um conto erótico com meus segredos mais sacanas expostos...

Mas é isso aí, essa música é fuckin tesão pra mim!

Agora pra quem não gostou do Pombo, nem do Trem da Alegria e nem de MM...Que vá fazer um Bundalelê por aí!

Saturday, September 17, 2005

Love will tear us apart

Pra sair da rotina, um pouco de Joy Division...
Chega de Metal melódico por hora...
E...Minha vida está prestes a virar 360º!
Cansei de falar sozinha, com surdos e mudos...

LOVE WILL TEAR US APART

When routine bites hard and ambitions are low
And resentment rides high but emotions won't grow
And we're changing our ways, taking different roads
Then love, love will tear us apart again
Love, love will tear us apart again
Why is the bedroom so cold?
You've turned away on your sideIs my timing that flawed?
Our respect runs so dry
Yet there's still this appeal that we've kept through our lives
But love, love will tear us apart again
Love, love will tear us apart again
You cry out in your sleep, all my failings exposed
And there's tast in my mouth as desperation takes hold
Just that something so good just can't function no more
But love, love wil tear us apart again...

En égoutter par leurs mains...

...Meu tempo é curto
E sempre soube que vim pra cá apenas de passagem...

E, como diz a Joy...

Abracadabra
Puff
Eu sou feliz!

E seja feliz também!

Thursday, September 15, 2005

E quando você perde a identidade???

É simples...É só registrar queixa de extravio e solicitar a segunda via...
É o que mais tenho escutado esses dias...

Mas e quando se trata da outra identidade???
O que fazer quando perdemos nossas crenças, nossos ideais, nossos valores, nossos paradigmas???

Ando tão estranha, tão diferente...
As coisas que me faziam bem já não fazem mais...Já não é raro as vezes que sinto falta de mim mesma...
Ando diferente, minhas atitudes são diferentes, meus gostos, minhas vontades...
Estou em plena crise fenomenológica existencialista...

Por que gasto horas combinando sapatos, com roupas?
Por que me olho no espelho todas as manhãs?
Pra quê guardo meu dinheiro?
E pra quê eu gasto ele?
Pra quê trabalho tanto?
Pra quê leio livros?
Assisto TV?
Pra quê vou pra faculdade?
Faço trabalhos ridículos só pra ganhar notas
Ou um salário
Pra quê sorrio pra chefe burro?
Colega folgado?
Professor enrolador?

O conhecimento tem valor real?
Abstrato?
Significante?
Estático?
Estético?

As coisas que pussuo me possuem...
Quantos anos eu tenho?
Quantos pares de sapatos tem no meu armário?
Quantos vestidos?
Qual o ano do meu carro?
Meu perfume favorito?
Quantos cds eu tenho?

Eu escolho algo?

Não acredito em mais nada
Perdi a religião, a fé, a esperança até
Mas percebi a noção do real
Apenas percebi...

Inventaram a pílula da felicidade
A máquina de fazer sorrir
De lavar louça,
Roupa,
De fazer sexo
Mas e de amar?

Com quantos Prozacs consigo um sorriso na minha cara?
E no meu coração?
Que eu tenho na minha cabeça?
Só penso...
Somos sonhadores?
Psicóticos?
Fetichistas?
Consumidores?
Apaixonados?
Profetas?
Bastardos?
Desesperados?

No final nem o amor prevalece...

Qual o melhor remédio pra insônia?
E pro nada?
Onde está minha mente?
Isso realmente importa?

Do que eu gosto?
O que é importante?
Onde eu estava quando me casei?
E quando o casamento acabou?
Onde eu estava quando a minha filha cresceu?
Quando caiu seu primeiro dente?
Quem ensinou minha filha a amarrar o tênis?
A ler? Cantar? Dançar?
E chorar?
Onde eu estava esse tempo todo???

E...
Onde será que posso obter a segunda via da minha identidade?

ACCALMIE


Le vent
Debout
S'asseoit
Sur les tuiles du toit

(Jacques Prévert)